Resumo: Pai Rico, Pai Pobre


Tenha senso das possibilidades, assumas suas responsabilidades e saiba que não existirá sucesso permanente sem crescimento permanente. Tenha confiança em sua capacidade e seja sempre a sua melhor versão.

                                                                                                       Papai Edão.


Sobre o Autor

Robert Toru  Kiyosaki, nasceu em meados de 1947, na cidade de Hilo, Hawaii. De descendência Nipo-Americana, Robert traçou seu caminho se formando na Marinha mercante, formação esta que lhe permitiu correr o mundo e conhecer muitos mercados diferentes e emergentes.

Devido à sua formação na Marinha, Robert foi enviado ao Vietnã pelos Fuzileiros Navais e lá permaneceu por um bom período, adquirindo experiência e conhecimento em liderança.

Robert Kiyosaki trabalhou em grandes empresas como a, Standard Oil Company e também a empresa Xerox, até meados de 1977.

Autor de Best- Sellers, como o mundialmente conhecido: Pai Rico, Pai Pobre, sendo este o principal livro e porta de entrada para outros livros escritos por Robert. Pai Rico, Pai Pobre levanta a bandeira da importância da inclusão da educação financeira na vida das pessoas, desde a base infantil.

Robert é um excelente e bem sucedido empresário, reconhecido no mundo todo pela a aplicação de sua inteligência financeira no mundo dos negócios, porém maior ainda é o reconhecimento por seus livros publicados onde foca no compartilhamento de suas ações e perspectivas situacionais de uma maneira simples, clara e muito objetiva.

Além dos excelentes livros publicados, Robert é o criador do game Cashflow. Jogo de tabuleiro mundialmente famoso, que, resumidamente falando, nos ensina a colocar o dinheiro a nosso favor, ou seja, trabalhar para nós e não ao contrário. Assim como em seus livros, no jogo de tabuleiro, Robert utiliza uma linguagem simples e muito clara. Ele nos ajudar a entender o que é ativo, e o que realmente é passivo, ambos no campo financeiro / administrativo. O Cashflow já teve algumas atualizações e versões, estando disponível hoje em vários canais, seja online, físico etc. Também foi criada uma versão do jogo para as crianças, esta versão é chamada de Cashflow Kids.

Robert Toru Kiyosaki é considerado por muitos como sendo o Gênio da administração financeira.  E só considerado assim por não reter o conhecimento adquirido.
                                                                                                                       
  
Pai Rico, Pai Pobre

Aprender o caminho não deveria ser um conselho ou apenas um comentário em uma conversa ocasional e informal. Aprender o caminho deveria ser um convite, daqueles que diz: Vamos juntos, estarei com você durante o percurso até chegarmos lá.
Basicamente esta é a mensagem transmitida por Robert Kiyosaki no livro Pai Rico, Pai Pobre. 
Há muito tempo, desde os tempos mais antigos, fomos, somos e se nada mudar, ainda seremos educados de forma inadequada. A educação “falha” parte dos pais e se estende ao sistema de ensino vigente em cada país do Planeta. No geral estes sistemas de ensino são muito parecidos e é difícil destacar um ou mais países que se diferenciam dos demais.
Nossos Pais não querem que sejamos perdedores, assim como, nossos avós, bisavós e uma extensa ramificação da arvore genealógica não maldiziam seus filhos. E não podemos julgá-los pela maneira adotada por eles para educar, pois muito provavelmente eles não sabiam que aquele modo de ensino não ajudaria em nada.

Desde pequenos, nossos tutores (Pais, familiares e professores) nos dizem para estudarmos, sermos bons alunos, cursar e conquistar um diploma na faculdade. Com isso teremos grandes chances de termos um bom emprego e uma boa remuneração.

A abordagem de Robert para este tema, a princípio é um tanto quanto diferente, pois ele denomina este tipo de ensinamento como: A corrida dos ratos.

Por que corrida dos ratos? A resposta é simples: Imagine um roedor correndo naquela conhecida roda colocada dentro de uma gaiola. Imaginou? Pois bem, esta corrida que o rato dá e que faz a roda girar, não parece um tanto quanto inútil? O rato correrá, correrá mais, correrá até a exaustão e nada acontecerá. E isso se sucederá um dia após o outro. Nada acontecerá. Exatamente como na corrida dos ratos na roda, acontece conosco em nossas vidas e vem sendo passado de geração para geração. Podemos até ter um bom emprego e uma vida teoricamente estável, mas se não tivermos o insight para pensarmos fora da “roda” estaremos sempre ali, correndo como o rato todos os dias. 

 Partindo deste princípio, o livro ilustra bem a situação e nos faz enxergar a diferença entre Rico e Pobre, representada por 04 quadrantes, denominado pelo Autor como, como quadrante E.A.D.I


            A ilustração acima fala por si só, porém o livro trata com profundidade cada ponto. Num breve resumo:

·         E = Literalmente é o rato que corre em sua roda. Procura estabilidade e segurança, porém faz parte de uma engrenagem que se move para atingir os objetivos de terceiros, no caso o patrão;

·         A = O Autônomo tem certa visão empreendedora, pois não se propõe a não trabalhar para atingir os objetivos alheio. Nem sempre alcança o sucesso. Um dos motivos de muitos autônomos não darem certo é que ele é por si só, e a não diferenciação entre empreendedorismo x necessidade acaba com muitos negócios;


·         D = Dono. Visionário e empreendedor com certeza. Monta um sistema que trabalha para ele. Se encaixar as peças certas e montar um time vencedor, a chance de prosperar só aumenta. Faz o sistema gerar lucro e o dinheiro chegar até ele;

·         I = Faz o dinheiro trabalhar para ele. Utiliza-se de extrema inteligência financeira, evita riscos absurdos e desnecessários. Os mais arrojados corre riscos maiores, porém a chance de êxito e retorno satisfatório é enorme.

Já perceberam? A quantidade de matérias que compõe o currículo escolar x a quantidade destas mesmas matérias que você muito provavelmente não utilizará no decorrer da sua vida?

O livro não orienta as pessoas a não irem para escola, longe disso. Antes, posso lhe dizer que, à medida que nos aprofundando e nos apegamos a cada passagem do livro, surge uma pergunta pertinente: Devo abandonar os ensinamentos convencionais e buscar a auto-educação, baseando-me nestes ensinamentos? Fiz-me essa pergunta enquanto lia e relia as primeiras páginas, até entender que o tema abordado é que, realmente deve, ou pelo menos deveria ser obrigatória a Educação Financeira, fazer parte do material de ensino escolar.

Muitos países estão quebrados, não só pela corrupção existente em quase todos eles, mas sim pela falta de inteligência financeira de quem governa. Sem a devida aplicação da I.F (Inteligência financeira), os países se afundam se endividam interna e externamente, não cumprem com suas pensões e aposentadoria (como por exemplo, o Brasil de hoje), justamente por não saberem lidar com finanças. Falta-lhes o aprendizado ideal, o entendimento correto, o planejamento adequado e por fim a execução certeira.

Fugir da corrida dos ratos é primordial para se libertar da mediocridade. Robert traz isso com muita propriedade. Pai Rico, Pai Pobre exemplifica duas condutas de dois bons pais, porém com perspectivas diferentes. O Pai Rico demonstra através de suas ações e condutas, como fazer o dinheiro trabalhar para nós, ao passo que, Pai Pobre foca em transmitir a necessidade de se embrenhar nos estudos convencionais, a fim de se garantir um emprego estável e bem remunerado.

As afirmações proferidas pelo “Pai Pobre”, maioria esmagadora no mundo hoje em dia, diga-se de passagem, acaba por implantar em nossas mentes, as crenças limitantes que nos impedem de ver o quanto é farto o mundo lá fora. Frase como: Dinheiro é sujo, ou, para ser rico tem que ter nascido em berço de ouro, também um das mais fortes e mentirosas que é, trabalhe duro e talvez com um pouco de sorte um dia se torne rico.

           Ao decorrer da aquisição de conhecimento que este livro nos disponibiliza de forma magistral, podemos observar que uma das “N” coisas que faltam para o 1º passo em direção à educação financeira é a ambição. Isso mesmo, a ambição.

Uma das crenças limitantes imposta pela sociedade medíocre é que a ambição assim como o dinheiro, é suja. Tal afirmação é indubitavelmente equivocada. Pois ambição e arrogância são pólos distantes e opostos.

“O exemplo arrasta.” Essa frase tem poder é indiscutível, porém a mesma força que ela tem para o bem tem paralelamente para o mal.

Uma pessoa banhada por ganância traz consigo o ego fora de controle. O ego descontrolado arrasta a inconsciência e ignorância. A ignorância trará o medo de perder, e com certeza o medo de perder tirará a vontade de ganhar. Pode parecer clichê, mas você consegue imaginar uma pessoa com ambição tendo medo de ganhar? Acredito que não.

A ignorância, o ego descontrolado e o medo não são necessariamente exclusivos de pessoas gananciosas. Pessoas medíocres também são portadores destes adjetivos.
  
Familiarizando-nos com os primeiros e necessários passos para uma boa educação financeira, a implantação do conhecimento adquirido é quase que imediata. Não é fácil quebrar paradigmas enraizados, porém é possível e o livro tenta fazer isso. De certa forma consegue, pois mesmo aquele que reluta em seguir adiante, a partir do momento em que se incomodar já se abrirá uma porta para a mudança.

A hora da mudança é o agora. Assim como descreve no livro, em determinado momento, a beira de uma falência financeira, Robert Kiyosaki decidiu que era a hora da mudança. Aquele momento foi o “agora” dele e assim ele o fez acontecer.

            O querer fazer acontecer abrirá um leque de opções e ferramentas necessárias para se atingir o sucesso, o topo.  Por isso este livro, Pai Rico e Pai Pobre, é considerado um divisor de águas, pois ele traz o passo a passo utilizado pelo Autor e o melhor de tudo, é adaptável, ou seja, você pode incluir o que julgar necessário para a sua conquista do sucesso.

No meu caso, por exemplo, além de seguir os ensinamentos do livro, inclui uma série de ensinamentos de outros livros e autores e assim estou constantemente moldando e mudando a minha conduta perante mim. Um livro complementa o outro e logo você verá que a educação escolar passa muito longe da educação real e necessária para uma vida farta e realmente feliz.

E seguindo adiante neste livro é muito importante que você entenda e absorva o máximo de informações que puder. Se não compreender muito bem, volte, pesquise, pergunte, faça algo que sane sua dúvida, mas, por favor, não se de por satisfeito caso não encontre a resposta que procura.

Neste livro a imaginação voa e é fácil fazer parte da história. A narrativa é tão interpessoal que deixamos de ser meros leitores e espectadores e passamos a fazer parte da história. A simplicidade e clareza utilizada na linguagem de Robert desperta certo senso de urgência no leitor e faz ele perceber que talvez esteja perdendo muito tempo esperando a hora certa, e que na realidade a hora certa é agora. Também faz o leitor se confrontar e ver que crenças podem ser mudadas, sim elas podem mudar. Podem ser substituídas por novas crenças fortalecedoras.

           Pai Rico, Pai Pobre nos ensina:

·                         *   A diferenciação entre educação convencional e educação real e necessária, com ênfase em finanças. À medida que nos aprofundamos nos ensinamentos do livro, vamos diminuindo o giro da roda da corrida dos ratos e passamos a olhar e imaginar como será a vida fora da roda;

Importante: O livro, além de não pedir para você abandonar a escola convencional, também não pede para que abandone seu trabalho ou sua principal fonte de renda. O livro trata de educação e inteligência para lidar com suas finanças.  Um insight do autor para nós é fazer de nosso trabalho o financiador de nosso negócio, seja ele qual for.

·                       * Diferençar ativos de passivos. Este tema também é abordado de forma clara e objetiva. Num resumo simples, ativo é todo o bem que gera receita, por exemplo, investimento em títulos, ações, imóveis e etc. Já os passivos são todos os bens que lhe consome valor regularmente, por exemplo, a casa em que se mora (caso só tenha uma), carros, cartões de credito e etc. Partindo deste entendimento, as situações e sugestões disponibilizadas vão ficando mais claras e de fácil entendimento e aplicação;

·                       *  Fugir da preguiça e procrastinação. Orienta a estarmos sempre presentes no aqui, agora e focados. Buscar adquirir conteúdo de qualidade é primordial, principalmente quando se trata de finanças;

·                        * Impostos: Abordagem importantíssima do livro. Sugere que é de extrema necessidade aprender a dinâmica da cobrança de impostos e como diminuir o impacto em nossas finanças. Claro, legalmente. Uma passagem interessante é a orientação para que as emoções sejam controladas, por exemplo, quando recebemos um aumento salarial, pois temos a falsa impressão que estará entrando mais dinheiro, quando na verdade estará aumentando na mesma medida a carga tributária. Tendemos a gastar mais, trocar de casa, de carro, viajar, apoiando-nos na falsa visão de aumento somente da receita;

·                            *   Mensagens ocultas ou mensagens explicitadas no livro merecem todo destaque. Uma das mais fiéis é a orientação para o que é situação de vida x vida que se tem. Muitas vezes confundimos situação de vida com a própria vida. Nestes casos acabamos esquecendo que tudo se transforma e algo sempre se encerra para começar algo novo. Devemos estar sempre preparados para algo grandioso que provavelmente acontecerá devido aos nossos esforços;

·                                 * Honestidade para consigo. É de suma importância a orientação do Autor para se ter honestidade pessoal. Analisar honestamente a sua situação financeira e traçar objetivos tangíveis trabalhando para atingi-los.

          Estes passos acima lhe ajudarão a encontrar um norte em sua vida financeira, assim como ajudou milhões pessoas em todo mundo. Paralelamente aos paradigmas que nos cercam, devemos sim nos educar por conta, buscando mais conhecimento de qualidade. Além de adquirir, devemos também compartilhar com o máximo de pessoas que pudermos alcançar.

          Quando entendemos que a melhor hora é sempre o agora, entramos num universo infinitamente maior do que aquele que nos limitava. A fartura é infinita e tem o suficiente para todos. Adquirimos a oportunidade de conquistarmos o que é nosso, e que só precisaremos utilizar as ferramentas adequadas. 

          O esforço que nossos tutores nos impuseram é válido de certa forma, pois nos ensinaram a ter índole, conduta e caráter, mas que infelizmente não nos educaram financeiramente para sobressair perante a massa. Em uma das passagens fica clara a sugestão de que a Sociedade convencional iria quebrar à medida que aumentasse o número de mentes iluminadas e bem educadas.

          Você é o ativo mais importante. Deve se investir, em todos os conceitos possíveis para que você atinja o topo. Além da educação financeira, preocupe-se com a sua educação emocional, física, espiritual etc. Busque o máximo de conhecimento que conseguir. Leia bons livros. Aprenda a investir. Busque uma renda extra e faça dela um negócio, invista neste negócio e faça-o crescer, prospere.

          Tenha senso das possibilidades, assumas suas responsabilidades e saiba que não existirá sucesso permanente sem crescimento permanente. Tenha confiança em sua capacidade e seja sempre a sua melhor versão.

Ao Autor, Robert Kiyosaki, o meu eterno agradecimento por ter compartilhado de sua experiência. Considero-me um sobrevivente e sei que ainda há tempo para vivenciar tudo que aprendi com o Senhor.


 


Comentários